O LINGUADO

Sou
o gris contra o gris . Minha vida
depende de copiar incansavelmente
a cor da areia,
porém esse truque sutil
que me permite comer e enganar inimigos
me deformou. Perdi a simetria
dos animais belos, meus olhos
e minhas narinas
viraram para um mesmo lado do rosto. Sou
um pequeno monstro invisível
estendido sempre sobre o leito do mar.
As breves anchovetas que passam ao meu lado
creem que as devora
uma agitação de areia
e os grandes predadores me roçam sem perceber
meu medo. O medo circulará sempre em meu corpo
como outro sangue. Meu corpo não é grande. Sou
uma porção de órgãos enterrados na areia
e as bordas imperceptíveis da minha carne
não estão muito distantes.
Às vezes sonho que me expando
e ondulo como uma planura, sereno e sem medo, e maior
que os maiores. Sou então
toda a areia, todo o vasto fundo marinho.
EL LENGUADO

Soy
lo gris contra lo gris. Mi vida
depende de copiar incansablemente
el color de la arena,
pero ese truco sutil
que me permite comer y burlar enemigos
me ha deformado. He perdido la simetría
de los animales bellos, mis ojos
y mis narices
han virado hacia un mismo lado del rostro. Soy
un pequeño monstruo invisible
tendido siempre sobre el lecho del mar.
Las breves anchovetas que pasan a mi lado
creen que las devora
una agitación de arena
y los grandes depredadores me rozan sin percibir
mi miedo. El miedo circulará siempre en mi cuerpo
como otra sangre. Mi cuerpo no es mucho. Soy
una palada de órganos enterrados en la arena
y los bordes imperceptibles de mi carne
no están muy lejos.
A veces sueño que me expando
y ondulo como una llanura, sereno y sin miedo, y más grande
que los más grandes. Yo soy entonces
toda la arena, todo el vasto fondo marino.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *